Pernas pesadas: é preciso aliviar!

Pernas pesadas: é preciso aliviar!

A sensação de pernas  pesadas é uma consequência da insuficiência venosa.

Os sinais de uma má circulação sanguínea

Os primeiros sinais de um retorno venoso preguiçoso são as sensações de peso e de cansaço nas pernas, agravados pelo calor e no final do dia. Formigueiro, cãibras noturnas, pernas e/ou pés inchados, varicosidades (vénulas distendidas que se manifestam por derrames nas pernas) mas também as varizes, sinais de fragilidade venosa.

Quais são os fatores de predisposição ?

  • A hereditariedade: tendo os 2 pais com varizes, o risco é de 90%.
  • A idade: as veias, como qualquer órgão e tecido, envelhecem e perdem o tónus ! Têm cada vez mais dificuldade em enviar o sangue para  o resto do corpo.
  • As mulheres são mais afetadas do que os homens; por causa das hormonas femininas e as variações que acontecem na gravidez, na menopausa e com toma de tratamentos…
  • O excesso de peso provoca uma sensação de peso nas pernas.
  • A obstipação, com compressão venosa a nivel abdominal.
  • As más posturas: as posições prolongadas de pé ou pelo contrário sentadas, sobretudo com pernas cruzadas, limitam a circulação sanguínea.
  • A higiene de vida: a falta de atividade física, o tabaco, o consumo de álcool, têm um impacto importante na tonicidade venosa.
  • O calor e as compressões: roupas apertadas, banhos quentes, exposição solar… reduzem o tonus venoso.

Como evitar e/ou melhorar as pernas pesadas com gestos simples no dia-a-dia?

FAZER

  • Mexa-se! O tónus muscular e o tónus venoso andam de mãos dadas. Natação, ginástica suave, mas principalmente caminhada e ciclismo que ativam a bomba venosa da planta do pé. Praticar pelo menos 2 vezes / semana
  • Levantar as pernas à noite mas também durante o dia, se necessário
  • Terminar o duche, o banho, a sauna… com um jato de água fria. Arrepios e bem-estar garantidos
  • Fazer uma massagem nas pernas diariamente, suavemente, com um gel de preferência, para ativar a circulação sanguínea. Começar pela planta dos pés, massajar os tornozelos e subir até ao joelho, seguir o trajeto do sangue.
  • Calçar meias ou collants de compressão que excercem uma massagem e melhoram a circulação sanguínea. 

EVITAR

  • Ficar sentado/a (sobretudo com pernas cruzadas) ou em pé durante muito tempo, as roupas apertadas
  • Fontes de calor: exposição ao sol, duche quente, piso radiante, sauna…
  • Tabaco e álcool
  • Os desportos com impacto: ténis, squash, volley e basket-ball…
  • Evitar os saltos altos e os sapatos rasos

Alimentação para umas pernas leves

Pois é, a saúde do sistema venoso começa na mesa. A alimentação permite « nutrir » todos os intervenientes do sistema venoso: as veias, os tecidos de suporte e os capilares.


Nota: as veias têm uma « arquitectura » diferente das artérias. Paredes finas e rígidas, um envelope interno constituido por células endoteliais e tecido de suporte (fibras de colagénio e elastina) que vão dar a « ordem » às células musculares da túnica média para se contrairem, uma túnica externa com células que produzem colagénio e elastina, indispensáveis para a flexibilidade e elasticidade, das veias e sua tonificação.

Cada válvula é formada por duas pregas na parede interna que são reforçadas por fibras de colagénio e elastina.


Para nutrir veias e capilares: os antioxidantes

Os nutrientes protectores contra os radicais livres, principais inimigos das células das paredes: vitamina C (frutos vermelhos, citrinos, kivis, pimentos, couves…), carotenoides (cenouras, alperces, batata doce…), polifenóis (frutas e legumes de cor azul, violeta, vermelho, especiarias e ervas finas…), vitamina E (oleaginosas, abacate…), oligoelementos tais como selénio (nozes, noz do Brasil…), manganês (mexilhões, avelãs, cereais…).

Comer colorido com frutas, legumes, especiarias não picantes e ervas aromáticas às refeições! Misturar e diversificar as cores: quanto maior o conteúdo de cores no prato, maior é a planopia de antioxidantes: essenciais porque agem muitas vezes em sinergia permitindo neutralizar todos os tipos de radicais livres.

Para nutrir os tecidos de apoio: Vitamina C e taninos

A flexibilidade e a elasticidade dos vasos sanguineos estão ligados à presença de compostos especificos, como o colagénio e a elastina. A vitamina C é indispensável para a formação destes elementos enquanto que os taninos muito presentes nas sementes de uva (no cacau, chá, soja, mirtilo, framboesa…), as oligo proantocianidinas ou OPC, estabilizam o colagénio.

No prato « pernas leves », colocar pouco sal que favorece a retenção de líquidos, e aumentar as fibras e a água que garantem um bom transito.

Não esquecer uma boa hidratação, sobretudo no verão com o calor. A falta de água engrossa o sangue, provocando um abrandamento do fluxo sanguíneo, causando danos na circulação venosa. Os ácidos gordos polinsaturados ómega 3 participam também na fluidez do sangue. Consumir peixes pequenos gordos, óleos de 1ª pressão a frio de colza, noz, cânhamo e linho : adicionar sementes de linho, cãnhamo, noz por cima das saladas.

O estojo plantas « pernas pesadas »

Os campiões:

Castanha da Índia, semente não comestível diferente da castanha (que é um fruto) e o Meliloto, a « flor de mel » muito procurada pelas abelhas. São tradicionalmente utilizadas para diminuir as sensações de pernas pesadas,  manter uma circulação venosa e capilar normal e tonificar a circulação venosa.

A videira vermelha, muito presente na nossa paisagem, cujas folhas vermelhas contêm  muitos polifenóis, reconhecidos por apoiarem a circulação e aliviarem as pernas pesadas.

Citamos também a hamamélis originária de América do Norte, mas também o pequeno azevinho com ação nos pequenos vasos sanguíneos.