A acidez gástrica: de onde vem?

A acidez gástrica: de onde vem?

Para iniciar a digestão, o estômago produz uma grande quantidade de ácidos.

O estômago, campeão da acidez

Manter um alto nível de acidez no estômago é essencial para uma boa digestão. Por isso, as células do estômago têm a incrível capacidade de produzir cerca de 2 litros de ácido clorídrico por dia. Diz-lhe alguma coisa? De fato, é o mesmo ácido clorídrico utilizado como agente corrosivo para limpar a sua casa… Veja só a acidez que existe no seu estômago!

A acidez mede-se em pH: quanto menor for o pH, maior será a acidez; e quanto mais elevado for o pH, mais o meio é básico. Um pH de 7 corresponde a um pH neutro. Graças à presença do ácido clorídrico, o pH do estômago mantém-se entre 1 e 3.

Esta acidez tem 2 funções importantes: estimular as enzimas digestivas e decompor os alimentos; e também eliminar os agentes bacterianos ou infecciosos que poderiam entrar no nosso organismo através dos alimentos.

Um estômago bem equipado para suportar a acidez

Dada esta importante acidez, como é que não temos sempre o estômago a arder? Sendo a natureza tão perfeita, equipou especificamente o nosso estômago com uma proteção contra a acidez que este contém. Por isso, a mucosa do estômago (parede interna) está coberta por um muco protetor rico em bicarbonatos, compostos base que neutralizam a acidez.

No entanto, outros órgãos digestivos, tais como o esófago, não têm qualquer proteção. Por essa razão, aparecem dores ou sensações de ardor, quando o conteúdo ácido sai do estômago e sobe pelo esófago: falamos de refluxo gastroesofágico.

Fonte: pensersante.fr