Fermentos lácticos

Fermentos lácticos

O nosso intestino é um verdadeiro viveiro de bactérias, nomeadamente as bactérias lácticas, que fazem parte da flora intestinal ou microbiota, única para cada um de nós, tal como as nossas impressões digitais.

Estes 1014  micro-organismos fazem parte de mais de 1.000 espécies diferentes,  vivem em equilibrio, formando um verdadeiro ecosistema.

No entanto, uma alimentação desequilibrada, o stress, o cansaço podem perturbar estes equilíbrios e provocar desconfortos.

Um pouco de história…

No início do século XX, Elie Metchnikoff, microbiologista russa, prémio Nobel de medicina, ficou intrigado com a longevidade dos Búlgaros, grandes consumidores de produtos fermentados, muito ricos em fermentos lácticos- assim chamados por produzirem ácido láctico-.  

Chegou à conclusão que estas bactérias exercem um efeito positivo no intestino e na saúde. O iogurte torna-se um produto vendido exclusivamente em farmácia. 

Foi nessa altura também que, Henry Tissier, pediatra francês, observa uma diferença entre a flora intestinal de crianças que sofrem de diarreia e as crianças sãs. 

O termo probiótico (do grego biotikos, "a favor da vida") só aparece em 1965 para designar 
«substâncias produzidas por micro-organismos que favoreciam o crescimento de outros micro-organismos» (Lilly et Stillwell).

Em 2001 o comité de peritos da FAO/OMS dão o significado seguinte: "Micro-organismos vivos que, consumidos em quantidade suficiente, melhoram a saúde do hóspede e têm uma ação que equilibra a flora intestinal".

As bactérias lácticas fazem parte dos principais probióticos; incluem nomeadamente os lactobacilos (Lactobacillus) e bifidobactérias (Bifidobacterium).

Leite fermentadoOs probióticos no prato

Leite fermentado

Laticinios : Iogurtes e leite fermentado.Queijos
Frutas e legumes: choucroute (repolho fermentado), sumo de frutas.
Produtos do mar : peixes fumados.
Azeitonas, pão fermentado, molho de soja…

A ligação entre fermentos lácticos e intestinos/flora intestinal

O nosso intestino é um vedadeiro viveiro de bactérias, no qual numerosas bactérias lácticas formam a flora intestinal ou microbiota, único a cada um de nós, como uma impressão digital. Estes 1014 micro-organismos fazem parte de mais de 1.000 espécies diferentes que vivem em equilíbrio e formam um verdadeiro ecosistema.

Os 3 papeis mais importantes da flora intestinal para a saúde:

  • papel nutricional com a digestão das fibras, dos amino ácidos, da lactose e a síntese e absorção de vitaminas (B2, B5, B6, B8, B12, K)…
  • papel de barreira opondo-se a entrada e/ou fixação de patógenos no organismo através de diversos mecanismos
  • papel na imunidade (maturidade do sistema imunitário, controlo de alergia…)

Estes benefícios dependem das bactérias: por isso algumas têm mais uma função digestiva (Lactobacillus paracasei, acidophilus, plantarum, Bifidobacterium longum…), e outras uma função imunitária, os Lactobacillus rhamnosus LGG; já foram feitas numerososa publicações acerca delas.

Os fermentos lácticos, um ato de vitalidade importante

Alguns fatores podem alterar as espécies que fazem parte da flora assim como o equilibrio existente entre elas. Uma alimentação desequilibrada, o stress, o cansaço podem quebrar os equilibrios e destabilizar a flora com consequências tais como: inchaços, digestão difícil e/ou alteração das defesas imunitárias.

Fornecer regularmente fermentos lácticos ou probióticos é um ato de vitalidade indispensável.