Articulações: respostas às vossas perguntas

Articulações: respostas às vossas perguntas

Um articulação é a ligação entre as extremidades de 2 ossos. Neste local, as cabeças dos ossos são envoltas em cartilagem, substância resistente e muito lisa que permite aos ossos deslizarem um sobre o outro para manter uma mobilidade de movimento fluido no dia a dia.

O todo é fechado numa cápsula articular que liga os 2 ossos e estabiliza a articulação. A membrana sinovial cobre a cápsula articular, e secreta o líquido sinovial.

As articulações em questão

1 • De que é composta uma articulação ?

Um articulação é a ligação entre as extremidades de 2 ossos. Neste local, as cabeças dos ossos são envoltas em cartilagem, substância resistente e muito lisa que permite aos ossos deslizarem um sobre o outro para manter uma mobilidade de movimento fluido no dia a dia.
O todo é fechado numa cápsula articular que liga os 2 ossos e estabiliza a articulação. A membrana sinovial cobre a cápsula articular, e secreta o líquido sinovial.

A cartilagem é composta de água em 70 a 80% e de uma malha de fibras e proteínas:

  • As fibras de colagénio fornecem à cartilagem a sua solidez e a sua resistência.
  • O ácido hialurónico que assegura a sua elasticidade.
  • Os proteoglicanos compostos de glucosamina e condroitina, verdadeiras esponjas que retêm a água o que permite à articulação amortecer os choques.

Os condrócitos são células especializadas, que renovam a cartilagem produzindo as fibras de colagénio e de condroitina.


Sendo desprovida de vasos sanguíneos, a cartilagem é “nutrida” e lubrificada pelo líquido sinovial, líquido viscoso que permite o deslizamento dos ossos sem constrangimentos facilitando deste forma a mobilidade e fornecendo à articulação uma grande capacidade de amortização.

2 • Artrose ou artrite, qual a diferença?

Não é fácil diferenciar a artrose da artrite. Ambos são reumáticos e provocam dores nas articulações, os mecanismos são diferentes.

O sufixo "-ite", designa a inflamação de um órgão ou de um tecido. A artrite é uma inflamação articular. A artrose é uma degradação mecânica da cartilagem mas também é acompanhada de uma inflamação.

Por isso, uma pessoa com artrose pode ter "ataques de artrite" dolorosos.

ARTRITE ARTROSE
Conjunto de doenças inflamatórias articulares Destruição mecânica da cartilagem articular, acompanhada por uma inflamação
Dores durante o descanso sobretudo durante a noite. Podem abrandar após um pouco de esforço e um “desenferrujar” articular. Dores durante o esforço e o movimento. Diminuem com o descanso
Reversível, pode ser tratado. Irreversível

3 • A ideia de "artrose = envelhecimento" será verdadeira?

Não, a artrose pode manifestar-se em qualquer idade. As suas origens são inúmeras: acumulação de microtraumatismos, excesso de carga física, excesso de peso, genética, alimentação. Pode acontecer após um traumatismo maior, seja qual for a idade. No entanto, somente 3% da população com menos de 45 anos é afetada, 65% após os 65 anos e 80% para além dos 80 anos. 

4 • Ideia: artrose = envelhecimento, é verdadeira?

Não, a artrose aparece em qualquer idade. As suas origens são diversas: acumulação de microtraumatismos, sobrecarga física, excesso de peso, genética, alimentação. Pode aparecer após um traumatismo importante, seja qual for a idade.
No entanto, somente 3% das pessoas com menos de 45 anos é afetada, 65% após os 65 anos e 80% para além dos 80 anos.

5 • E o sexo nisto tudo?

Em relação às articulações, as mulheres não são iguais aos homens. Após os 50 anos, a artrose é mais frequente nas mulheres do que nos homens. Em causa, os estrogénios. Os condrócitos possuem receptores aos estrogénios. A sua estimulação provoca a síntese de fatores de crescimento. Após a menopausa, há uma queda dos estrogénios com a diminuição de síntese destes fatores de crescimento e fragilidade óssea.

6 • As articulações "meteorológicas-sensíveis", mito ou realidade?

Fala-se frequentemente de uma manifestação do desconforto das articulações com a chuva. Foi "considerada inocente" pela Academia de Medicina que não confirmou a ligação entre as variações de pressão atmosférica e a intensificação dos desconfortos. A ligação parece estar no sedentarismo: com o mau tempo, as pessoas não saem e tendem a imobilizar-se, provocando os desconfortos. Viva o movimento! No entanto, é verdade que os reumatismos podem ser melhorados com o calor de um saco de água quente ou de um secador de cabelo.

Sabia que

Os reumatismos inflamatórios aparecem geralmente no jovem adulto e podem atingir as crianças (artrite e espondilartrite anquilosante e juvenis).
Entre os desportistas de alta competição, o risco de artrose do joelho e da anca é superior a 85%. Os mais expostos: os jogadores de futebol, de andebol e os de hóquei.

« Desbloqueio » matinal mais longo, rigidez? Como cuido das minhas articulações

Procuro uma melhor higiene de vida

Deixo de fumar: é um fator potencialmente provocador dos reumatismos inflamatórios através dos mecanismos de stress oxidativos.

Acabo com os quilos em excesso; o excesso de peso "pesa" nas articulações, sobretudo do joelho. Perder 500 g equivale ao alivio das articulações em 2 kg. Por isso, perder pelo menos 5% do seu peso corporal permite abrandar a degeneração da cartilagem.

Pratico uma atividade física mas sem excesso: a atividade física regular permite conservar a flexibilidade articular. Mas o excesso também prejudica! O desporto intensivo requer uma maior solicitação dos ligamentos e das articulações, com microtraumatismos e constrangimentos mecânicos repetidos que contribuem para o uso da cartilagem.

Aconselha-se a prática razoável e diversificada de atividades para não solicitar sempre as mesmas articulações. Não negligenciar os alongamentos. Para as articulações recomenda-se a bicicleta e a natação. Um pouco mais agressivo por ser em terrenos mais rijos com pouca amortização: a corrida, o ténis e o squash.

Limito o stress: o stress repetido é conhecido por favorecer a tensão muscular ou seja a sensibilidade aos reumatismos.

Ação na cozinha

Escolho uma prato para as "articulações":

  • No menu, legumes e frutas ricas em minerais base. Um excesso de ácidos está relacionado com o consumo excessivo de carne, açúcar refinado, sal… pode agredir os tecidos e provocar uma “pilhagem” de minerais desacidificantes indispensáveis à saúde osteo-articular. As articulações sensíveis podem ser reveladoras.
  • Aposto nos polifenóis e outras moléculas com propriedades antioxidantes; coloco especiarias (todas as especiarias caçam o stress oxidativo!), multiplico as cores no prato.
  • Ómegas 3 dos peixes pequenos selvagens ou óleos de colza e de noz.
  • Bebo (água, chá verde), a cartilagem é composta por 75% de água. Não esquecer!
  • Diminuo a temperatura de cozedura: com alta temperatura, formam-se "proteínas glicadas", substâncias que desencadeiam um aumento de moléculas inflamatórias, muito agressivas para as articulações. Os alimentos fritos, grelhados ou assados são por isso a limitar.

Apoiar-se na micronutrição e nas plantas benéficas

Os condroprotectores

Algumas substâncias fornecidas como suplemento têm um efeito condroprotector, fornece nutrientes que favorecem a síntese de compostos da cartilagem com inibição da sua degradação e por vezes diminuição de dor. Se bem que estas substâncias não permitem curar a artrose podem, no entanto, abrandar a evolução da doença. Entre os condroprotectores mais conhecidos estão:

  • O sulfato de gulcosamina: a glucosamina é naturalmente produzida no nosso organismo pelos condrócitos. Incorporadas na cartilagem, abranda a sua degradação e estimula a produção da matriz. O sulfato de glucosamina parece melhorar a ação lubrificante do líquido sinovial e atenuar os sintomas articulares.
  • O sulfato de condroitina: como a glucosamina, a condroitina é fabricada pelo organismo e também tem uma ação na dor e na inflamação.

O efeito da glucosamina e da condroitina não é imediato, geralmente, aparece após 3 meses de suplementação.

  • O ácido hialurónico: naturalmente presente na articulação, o ácido hialurónico é um constituinte do líquido sinovial, melhora a sua viscosidade o que permite a lubrificação da articulação.
  • O colagénio: o aporte do colagénio estimula a regeneração do tecido da cartilagem aumentando a síntese dos seus compostos, e diminui as dores articulares.

SABIA QUE…

Ossos de frango, bovinos ou porcos de criação, cartilagem de tubarão, marisco… Cuidado com a origem destas matérias primas!

Privilegiar os ingredientes de origem marinha provenientes de co-produtos da pesca (resíduos de peles e espinhas de peixe) ou de origem vegetal (obtidos pela fermentação).

  • O MSM (metil-sulfonil-metano), presente naturalmente em vários alimentos (leite, marisco, chocolate, café), é fonte de enxofre. Presente em concentração elevada nas articulações, o enxofre serve para a síntese de compostos da cartilagem. O MSM é utilizado há muito tempo para tratar as dores articulares.
  • O silício: faz parte dos principais minerais do corpo humano, encontramo-lo nos tecidos conjuntivos (pele, cartilagem, osso).Está envolvido na síntese do colagénio no seio da cartilagem. 
  • A vitamina C: sem vitamina C o nosso organismo é incapaz de sintetizar o colagénio das articulações. Antioxidante poderoso, a vitamina C capta os radicais livres e protege assim os condrócitos do stress oxidativo induzindo a resposta à inflamação.

As plantas

Cavalinha dos campos: a cavalinha é particularmente rica em flavonóides, antioxidantes e em minerais, nomeadamente em silício que favorecem a remineralização e a renovação da cartilagem.



O harpagófito: também chamado “garra do diabo”, o harpagófito é utilizado há séculos pelos povos africanos para aliviar a inflamação e as dores articulares.



A urtiga: contém naturalmente silício. Há muito utilizada pelos seus benefícios, a urtiga é boa para os ossos e alivia as dores articulares. Permite a eliminação das toxinas que podem “entupir” as articulações.



O bambu: o caule de bambu tem um teor excepcional em silício, componente dos ossos e da cartilagem, melhorando a resistência dos tecidos conjuntivos e ajudando a evitar a degeneração da cartilagem.



A curcuma: as virtudes da curcuma provêm da sua riqueza em polifenóis como a curcumina, anti-inflamatório famoso.



Fale com o seu médico ou seu terapeuta.