Antioxidantes

Antioxidantes

Recomendados pelas autoridades de saúde, as frutas e legumes são aliados para manter a forma e a juventude.

Vantagens ?

Principalmente a sua composição excepcional em compostos ricos em pigmentos, os antioxidantes, verdadeiro sistema de defesa do organismo para enfrentar as moléculas potencialmente tóxicas, os famosos radicais livres ou RL.

Foco nos radicais livres

Um radical livre (RL) é um átomo que se caracteriza pela presença de um eletrão solteiro, tornando-o particularmente agressivo. Para reencontrar o seu par de origem, fonte de estabilidade, « ataca» outros átomos e « arranca» o eletrão em falta; este átomo saqueado por sua vez torna-se radical livre.

Desta forma, criam-se reações em cadeia destruidoras que causam estragos por vezes irreversíveis nos substratos biológicos como as enzimas, proteínas, ADN… e provocam mais ou menos a longo prazo, segundo o capital genético de cada um, o envelhecimento dos tecidos... se não houver intervenção dos antioxidantes.

Circunstâncias fisiológicas provocando a produção de RL:

1. A  oxidação fisiológica, vital: a respiração
Verdade... é um paradoxo: o oxigénio, ator das reações químicas celulares, ganancioso de eletrões livres é o principal produtor de RL! 

2. Aquando processos inflamatórios, infecciosos

3. Aquando exposição repetida ao stress ou tóxicos potenciais (poluições, tabaco, pesticidas, medicamentos…)

O nosso meio ambiente também é fonte de produção radicalar:

  • quando ser verifica exposição celular excessiva
  • quando se verifica exposição à radiações eletromagnéticas, poluições, pesticidas…

A formação e a utilização de radicais livre podem, no entanto, ser vitais para o organismo: na defesa antibacteriana, na regulação dos genes e na destruição de células.

As oxidações indesejáveis e a defesa com os antioxidantes

Felizmente, o nosso organismo dispõe de um conjunto de defesas: 

  • internamente: composto de enzimas, de proteínas e de oligoelementos como o cobre, o zinco e o sélénio
  • externamente: fornecido pela alimentação sobretudo frutas e legumes ricos em moléculas muito conhecidas: carotenoídes e polifenóis como os flavonoídes, os taninos (cacau, chá e uva), as antocianinas de frutos vermelhos ou azuis, as vitaminas C, E... 

Esta diversidade de cores deve-se não só às vitaminas e oligoelementos antioxidantes que contêm, mas também, aos pigmentos com forte atividade antiradicalar. Quanto mais escura for a cor. mais importante é o poder antiradicalar. Por isso, quanto mais cores tiver uma refeição  maior a oferta em antioxidantes, muito importantes porque agem em sinergia e favorecem a neutralização de todos os radicais livres. 

Caso a produção de RL ultrapasse a capacidade de neutralização do organismo, fala-se em oxidações indesejáveis. Acontece quando:

  • há uma alimentação deficiente em nutrientes antioxidantes ou desequlibrada com excesso de açúcares, gorduras... frequente nas nossa sociedade industrializada 
  • há stress crónico, muito frequente atualmente, um verdadeiro "papão" em consumo de nutrientes e de antioxidantes
  • há exposições repetidas ou importante à poluição química, raios UV ou eletromagnéticas 
  • há prática intensiva de desporto de resistência
  • há fenómenos inflamatórios ou agudos...

Consequências :

A produção não controlada de RL "devastadores" deixa marcas nos tecidos e orgãos com ação direta no envelhecimento:

  • A visível: perda de elasticidade da pele que ganha flacidez e rugas com a destruição das fibras de apoio (elastina e colagénio), e opacidade do cristalino...
  • A outra mais "discreta" que atinge as membranas das células, desordens funcionais em cascata, riscos cardiovasculares, problemas inflamatórios e/ou neurodegenerativos, e que por vezes atinge o ADN.
Excesso de RL
Excesso de RL
Excesso de RL
Excès de radicaux libres
Excès de radicaux libres
Excès de RL
Excès de RL
Excès de RL
Excès de RL
Excès de RL

Excès de RL

Consequências de um excesso de radicais livres no organismo.

Todos os dias ponha cores no seu prato!

Alguns antioxidantes no seu prato

Vitamina C Acerola, groselha, salsa, kiwi, bróculos, citrinos…
Vitamina E Óleos de 1ª pressão a frio, sementes de oleaginosas, crustáceos…
Carotenoídes ou provitamina A Frutas e legumes de cor laranja ou vermelha, legumes com folhas, bróculos…
Zinco Frutos do mar, levedura, legumes secos…
Selénio Frutos do mar, peixes, sementes de oleaginosas, miudezas…
Polifenóis Especiarias, ervas aromáticas, cebola, frutas vermelhas, pretas, beringela, vinho tinto, chá verde, cacau, legumes, leguminosas, cereais, soja...